sexta-feira, 30 de setembro de 2011

Viver com simplicidade!


Estudar, trabalhar, passear, namorar, cuidar da família, ter a casa organizada, cuidar das contas, manter a aparência cuidada, divertir-se, ter responsabilidade...

Corremos, corremos e corremos! Aprendemos a buscar pelo sucesso sempre! Seja na vida profissional, seja na vida pessoal... Todos querem ser bem sucedidos!

Mas e tempo para correr atrás de tudo isso?

Vivemos na era do consuma isso, faça aquilo, não perca isso e arrume tempo para tudo! SE VIRE, MAS DÊ CONTA DE TUDO!!!

E muitas vezes, na ânsia de dar conta de tudo, perdemos o mais precioso de todas essas atividades... O contato consigo mesmo!

Afinal, de que adianta ganhar o mundo e todas as suas conquistas, chegar ao que chamamos “sucesso”, se para isso corremos o risco de nos perder de nós mesmos?

Esquecemos-nos de viver!! E muitas vezes, apenas fazemos coisas... Sem sentir!

Certa vez um cliente me disse que, mesmo tendo dinheiro para ir trabalhar de carro todos os dias, dois ou três dias da semana optava por ir para o trabalho a pé! E, diga-se de passagem, morava bem longe do trabalho. Quando o questionei sobre suas razões para isso, me disse que se não fizesse isso, perdia a oportunidade de olhar para tudo o que tinha na rua, incluindo as árvores em seu caminho, as pessoas que passavam por ali, e como as mudanças aconteciam de uma semana pra outra!

Quantos de nós fazemos isso? Isso me supreendeu na epoca em que me contou, da mesma forma que me emociona até hoje... Afinal de contas, um exemplo de alguem que vive a vida ao invés de correr com ela sempre nos faz parar e refletir...

Na verdade, aprendemos que o complicado é mais elaborado, mais interessante, e muito mais sofisticado!!! E aí, claro, aprendemos que o natural é complicar e, que para ser bom tudo tem que ser complicado!! Mas será mesmo que isso funciona?

Até quando?? Perdemos qualidade de vida vivendo assim!!

Quando vamos nos atentar para a graça de um passeio no parque, de um sorvete de casquinha num dia de verão com os filhos, de um momento para assistir televisão e não ter que pensar em nada??

Quando vamos nos lembrar que muitas vezes um simples telefonema ajuda a nos sentirmos especiais para alguém, e que apesar de ser uma delicia ganhar um super presente, o carinho é o mais rico de todas as surpresas e que nada supre?

A verdade é que só depende do valor que damos ao que fazemos, e assim, se dermos grande peso apenas ao que é grandioso, a chance de sofrermos fica imensa, pois conquistar coisas assim demanda tempo e energia... Quando alcançamos, nem sempre temos tempo e energia para curtir a conquista tão sonhada!!

Será que não dá pra simplificar pra sermos mais felizes???

domingo, 25 de setembro de 2011

E de novo cuidar...



Confesso que este tema tem me chamado muito a atenção... Na verdade, estou mentindo!! Este tema sempre me chamou muito a atenção... O que acontece é que no momento a solicitação para trabalhar este tema tem sido uma constante em minha vida, o que me faz me debruçar sobre ele com mais afinco.

Ministrar um curso, uma palestra ou apenas um diálogo sobre o cuidar de si é sempre uma proposta para repensar no cuidado que tenho comigo mesma. E já que esta constante se faz presente em minha vida, por que não dividir o tema e torná-lo mais amplo??

Aprendemos desde muito jovens que o cuidar é algo básico em questão de sobrevivência humana.

Cuidamos da higiene, cuidamos da alimentação, cuidamos da aparência, cuidamos das expressões faciais e verbais... Cuidamos da vida financeira, da vida social, da vida familiar... Lembramos de cuidar da vida cognitiva e da vida profissional... Cuidamos da casa e dos objetos que nos cercam!!

Cuidamos também das pessoas de nosso convívio e de todos que nos envolvem em algum tipo de responsabilidade. Mas cuidar dos que nos cercam nem sempre significa cuidar das relações!!!

Aprendemos a cuidar DE... De alguém ou da gente mesmo!! Mas acabamos nos esquecendo de cuidar do ENTRE!!

Vivemos na era da facilidade nas relações... ao menos a facilidade do contato: email, MSN, SMS, Skype, redes sociais, telefonemas entre tantas outras formas de contato que temos no acesso a tecnologia. No entanto, essas formas de contato distanciam no que diz respeito ao relacionar-se de fato. Não sabemos mais o que é a troca de olhar, o quanto os gestos falam, a delicadeza de um toque, o quanto nem um tipo de comunicação paga o preço de um abraço!!

Nos tornamos distantes, na busca de nos tornamos mais próximos...

Relações são feitas de coisas sutis e de coisas grandes. Momentos de estar junto e de trocar energias, problemas, alegrias, satisfações e insucessos!!

Aprendemos a sermos extremistas... Ou cuidamos do outro, ou cuidamos de nós de mesmos, ou queremos cuidar ou queremos ser cuidados!! Falta harmonia, falta aprendermos a transitar por estes dois mundo vivendo o cuidado com as relações.

Relacionamento no qual apenas um lado se beneficia não se mantém por muito tempo. Relação sem cuidado mútuo é apenas necessidade, e pode chegar a ruir com o passar dos anos. Precisa ser uma via de mão dupla... fazer e receber, receber e retribuir!!

Não estou querendo vincular o cuidado com a obrigação de troca... Mas quero sim levantar a reflexão para o quanto nos esquecemos de olhar para o que temos por perto. Ouvimos pais reclamarem da relação com os filhos, do quanto são desobedientes e difíceis no mundo de hoje, mas muitas vezes eles também esquecem de cultivar com seus filhos a importância do cuidado mútuo. Ora, só os pais devem cuidar dos filhos?? Filhos não devem ser ensinados na relação a cuidar dos pais??

Vemos professores reclamando do desrespeito dos alunos, mas também vemos os mesmos faltando com o respeito com seus alunos... Aqui também não cabe cuidado mutuo?

Temos relações de amizade esperando que as pessoas nos escutem quando precisamos, mas olhamos para o quanto estamos disponíveis quando precisam de nós??

Cuidar envolve gestos sutis. Mas que fazem toda a diferença em qualquer relacionamento.

Cuidar significa ZELO, ATENÇÃO, CARINHO, PREOCUPAÇÃO, AFETO, TOMAR CUIDADO, DIVIDIR DUVIDAS, COMPREENSÃO, PARTICIPAR... OFERECER PROTEÇÃO!

Cuidar significa acolhimento, e acima de tudo RESPEITO!!

Cuidar do entre não é diferente de tudo isso... Zelar e dar atenção ao que mantemos com o outro, acolher e compreender, sempre oferecendo um olhar de afeto e troca...

Será que assim as relações não ficariam mais fáceis?? Será que assim não aprenderíamos que cuidar sempre envolver algum tipo de troca e assim renovação??

Pense nisso... como está o seu cuidar do entre??

sexta-feira, 2 de setembro de 2011

Entre bruxas e princesas...

Em qual desses papéis nos encontramos??

Um pouco bruxas... Ou princesas... Talvez!

Em qual desses papéis nos sentimos mais confortáveis??

Princesas são dóceis e delicadas, comportadas e sempre muito educadas!! Sempre sabem como agir e como devem se portar... Nunca devem mentir, sempre devem dizer sim, e sempre agir com um sorriso nos lábios e muita simpatia!! A meiguice em forma de ser humano...

Bruxas são desalinhadas, grosseiras e diretas!! Não se preocupam em ser politicamente corretas e sempre dizem o que pensam... Seres desalinhados e que se arrumam apenas quando sentem vontade!! A palavra não surge com facilidade em seus lábios, sempre que, a seu ver, se fizer necessária...

Mas afinal em qual desses papeis queremos nos enquadrar?

Ser princesa é sonho de menina... Toda criança fantasia com seu castelo encantando, longos vestidos cor de rosa, muito mimo e glamour! Acho mesmo que nunca vi uma menina sonhando em ser a bruxa... Alias, conheço algumas que sofrem verdadeiro horror com a imagem das famosas bruxas.

Mas será mesmo que as bruxas são tão más, assustadoras e horripilantes assim?

Hum... Acho que na verdade, transitamos entre os dois mundos! Um momento de princesa, seguido de um momento meio bruxa.

Entendo que os contos de fadas tentam traduzir um pouco de nosso mundo interior. Assim, somos meninas comportadas e delicadas, mescladas com mocinhas malvadinhas que preferem olhar para suas próprias necessidades que satisfazer aos outros sempre.

Nem as bruxas são tão más assim, nem as princesas tão encantadoras. Princesas podem ser tediosas e assustadoramente perfeitas, e alias, quem agüentaria viver com tamanha perfeição, provando que ninguém ao seu redor jamais chegará perto de tamanho autocontrole? Viver com a perfeição pode custar muito caro!!

O estereotipo de princesa e bruxa usado pela historia infantil é na verdade uma bela tradução, em exagerada diga-se de passagem, de nossas sensações e vontades interiores!! Uma briga constante entre o bom e o mal, entre a vontade de ser boa e a vontade de fazer o bem só a si, entre a necessidade de obediência e rebeldia... Enfim, uma bela forma de nos mostrar que podemos transitar entre os dois pólos, sem termos que optar apenas por um papel!

Somos versáteis... Pessoas, profissionais, amigos, filhos, pais, educadores, empreendedores... Muitos papéis em um só ser humano. Então por que temos que ser tão limitados dentro de tantas regras de boa educação e convivência?? Por que não aprender a ousar e a mesclar sensações e atitudes??

Um pouco lá... Um pouco cá... Entre bruxas e princesas existem tantas possibilidades que só mesmo experimentando para saber!! Ouse, tente, faça... Liberte sua bruxa interior, com toda a delicadeza que uma bela princesa usaria...