segunda-feira, 7 de fevereiro de 2011

Loucura???

Fazer coisas que o os outros desaprovam, ser diferente, agir com mais com o coração que com a razão, ser determinado, ousar, arriscar... Sonhar, divagar, fantasiar...

Sinais de loucura? Talvez... Quem pode dizer ao certo se são sinais de loucura garantidos ou se são apenas maneiras de um mesmo ser agir e se renovar?

Buscamos por padrões, por métodos seguros, por resultados garantidos! E claro que pra padronizar, tudo que foge a regra é errado... Tudo que foge a regra é loucura!!

Aprendemos a reprimir o que é louco ou diferente, e aprendemos isso depois de adultos, pois enquanto crianças, quanto maior a loucura, mais satisfatório é o resultado! A criança orgulha-se de ter a loucura por perto, e quando encontra um adulto assim, sente-se um ser realizado! É o que ajuda a desenvolver a criatividade, o lado brincalhão, a espontaneidade que tanto admiramos nesses pequeninos...

A loucura a que me refiro não é aquela que atesta a sanidade ou insanidade mental, a manter com louvor o bom funcionamento das capacidades mentais, mas sim as atitudes que tomamos e ao modo como agimos. Atitudes essas que são sempre passiveis de julgamento e condenação: LOUCURA TOTAL!!

E aqui me atormenta uma pergunta: Quem realmente é capaz de determinar o que é loucura e o que vale a pena?

Pois se há a facilidade em julgarmos e determinados o que é loucura perante nossos olhos morais, também há a facilidade em sonharmos! E talvez, esses sejam os maiores responsáveis por agirmos assim...

Agir de maneira que o mundo desaprove pode ser apenas uma questão de ponto de referência, do meio ao qual estamos inseridos e do que esperamos uns dos outros!

Quem nunca olhou alguém com olhos julgadores, com condenação, com a convicção de que aquilo que vemos é loucura? E por outro lado, quem nunca se sentiu olhado e analisado assim?

Se nos permitíssemos ousar mais, arriscar mais, seguir mais o que o coração nos pede, talvez a loucura deixasse de ser um problema e passasse a ser a solução de muitas dores da alma!

Reprimimos o que temos de mais espontâneo em nós mesmos! Crescemos e nos tornamos pessoas padronizadas, bons seguidores de regras e de comportamentos estereotipados!

Quer loucura maior que o uso de uniformes?? Quer algo mais repressor e reprovador que uniforme no ambiente de trabalho?

Quando crianças, entendemos que na escola é importante usar uniforme para que sejamos identificados como pertencentes a um grupo, é uma forma de proteção inclusive. E quando adultos??? Continuamos precisando desse cuidado, ou tememos as diferenças?

Há quem diga que os uniformes servem para que as pessoas não ousem em demasia no ambiente de trabalho e com isso não vulgarizem o local. No entanto, sou mais adepta da idéia de que se somos capazes de vulgarizar, é porque de alguma maneira temos pouco tempo e oportunidades para sermos nós mesmos, e quando o somos, nos soltamos além do que precisamos!

Loucura mesmo é pré determinarmos o andamento da vida, é acreditarmos que somos capazes de cuidar de tudo que possa nos acontecer sem riscos, sem mudanças ao longo do caminho, sem sermos pegos de surpresa com imprevistos e situações com as quais não damos conta de lidar!

Loucura mesmo é escolhermos o caminho que nossos filhos devem trilhar para serem felizes, é determinarmos padrões de comportamentos que tolhem a liberdade, a individualidade e a forma de expressão desde que entramos na escola (e olha que isso hoje acontece cada vez mais cedo!)!

Loucura mesmo é sermos obrigados a escolher o que fazer o resto da vida apenas com 17 anos e ter a obrigação de acertar de primeira!

Loucura mesmo é impor que não há a possibilidade de mudar de idéia no meio do caminho, de restringir as escolhas que fazemos sempre ao padrão já realizado! Louco é quem aceita ser engessado pelo pré- estabelecido, e segue sua vida sem mudanças nunca...

Louco pra mim, é quem não pense no que vive, apenas segue seu caminho padrão, suas “escolhas” pré-determinadas, sua vida rotineira, sem nunca se questionar de fato se é isso que espera de si!

Louco é não sentir, ou obrigar-se a não sentir porque alguém disse que isso é loucura! É viver a vida do outro, como o outro, do jeito que o outro determinou por achar que assim é mais seguro...

Loucura mesmo é acreditar que loucura é coisa ruim... Todos temos um pouco de loucos, e talvez seja exatamente isso que nos torna especiais, cada um do seu jeito, e sem padrões normais!!

Um comentário:

  1. Pois é senhora, que loucura ! acho que sãos são as pessoas que vivem no loucodromo, rs.rs.rs.rs.Aqui fora de médico e louco todo mundo tem um pouco.O texto me faz pensar que além das crianças os velhos também se permitem viver com espontâniedade. Que escola maravilhosa é a vida não acha ? vivendo cada dia como se fosse o último, com humildade para os questionamentos vamos entendendo cada ser com sua loucura. Maravilhoso ! não há muito o que acrescentar, só um pedido:- continue nos presentiando com seus textos, assim podemos de verdade olhar para dentro de nós mesmos e acrescentar um degrau de evolução em nossas vidas.beijos mami.

    ResponderExcluir

Obrigada por me deixar seu recado!!