quarta-feira, 8 de setembro de 2010

Verdade ou ponto de vista...

O que seriam verdades?

Segundo o dicionário, verdade refere-se à realidade, a exatidão, a concepção clara de uma realidade. Mas será que somos capazes de definir tudo que vivemos e percebemos como verdades?

Talvez esse conceito seja simples de se entender quando nos referimos a objetos, a situações concretas e alheias a nossos interesses emocionais. Mas e onde entram as verdades absolutas quando nos referimos aos relacionamentos que mantemos?

O quanto podemos julgar, avaliar e interpretar se o que sentimos se refere a verdade do outro?

Sabemos o quanto e como nos sentimos, e o que cada circunstancia é capaz de despertar em nossos corações. Mas isso não nos torna possuidores de verdades totais, pois esses sentimentos despertos são indivisíveis, único e exclusivamente nossos!

E o que o outro sente? Não é também uma verdade para ele?

Noto que nos relacionamentos sempre se pode perceber três verdades, sendo elas a verdade de cada um e a verdade de ambos. Ou seja, quando estamos diante do outro, muitas coisas podem ser apenas individuais e dependerem do ponto de vista de quem sente e percebe.

Ora, se somos capazes de perceber a realidade de diversas formas diferentes, de acordo com as experiências que já acumulamos, de acordo com o que sentimos no momento, de acordo com o que esperamos para cada circunstância, por que seria diferente com o que percebemos dos sentimentos que desenvolvemos e os sentimentos que o outro nos apresenta?

Acredito que este seja o grande desafio de cada relação que estabelecemos: aprender a estar junto sem buscar a sua verdade absoluta, sem acreditar que tudo que se sente tem que ser universal ou ao menos compartilhado pelas duas pessoas da relação. Esperamos muito que o outro sinta o que sentimos e que o outro seja capaz de entender o que demonstramos. Mas esse é apenas um lado dessa verdade!

É preciso disposição e abertura para se entender que ambos os lados da verdade podem ser bons se estivermos dispostos a dividi-la.

Ampliar a percepção é um gigantesco exercício que, por mais dificuldades que possamos encontrar, nos ajuda a entender e aceitar o ponto de vista de outro, independente de nossa verdade!

É aprender a ir até o outro, sem ter que abrir mão de si mesmo, aprender a estar na relação sem necessariamente ter que se vender a ela, mas sem buscar impor suas próprias percepções.

Libertar-se da visão de verdades absolutas no que diz respeito ao estar com o outro, nos ajuda a aprender a exercer o respeito, sem descuidar de si mesmo, e sem buscar ver-se refletido no olhar e nas atitudes alheias!

3 comentários:

  1. Verdade ou ponto de vista? Pra mim é verdade: você é uma pessoa iluminada, com um trabalho lindo e esta escrevendo cada vez melhor! Parabéns!
    beijos da mana

    ResponderExcluir
  2. Posso afirmar ser verdade. Me senti totalmente envolvido nesse comentário. As vezes deixamos nos influenciar pelas posicões e sentimentos das pessoas e esquecemos de quem realmente somos.
    Muito bom. Bjão!

    ResponderExcluir
  3. Paty, vou te dizer uma verdade absoluta: Te amo!

    Acho que saber olhar a verdade do outro é um ato de humildade e saber olhar e respeitar suas próprias verdades é um ato de sabedoria, e sabedoria maior ainda é reconhecer quando devemos rever nossas certezas e mudar nossos conceitos...

    ResponderExcluir

Obrigada por me deixar seu recado!!