sexta-feira, 10 de setembro de 2010

Totais e absolutos...

Mente ou corpo, razão ou emoção, físico ou psicológico!!

Quantas e quantas vezes ouvimos essas divisões e nos pegamos em alguns momentos até mesmo a utilizá-las como forma de explicação para muitas atitudes e sensações que temos.

A idéia de que somos seres subdivididos não me atrai. Não entendo como possibilidade viável explicarmos as questões humanas separando-as e catalogando-as dessa forma, como se pudéssemos determinar até onde vai o físico e a partir de que momento começou a entrar no estado emocional!

Em cada instante que vivemos, somos apenas pessoas sentindo, pensando, agindo! Se adoecermos, independente de que parte de seu organismo encontra-se em defasagem, adoeceremos como um todo. Se nos sentimos bem, todo o ser se sente bem, e isso não depende de que parte da pessoa produziu esse bem estar!

Vejo o ser humano com uma visão de totalidade, de união e não de cisão!

Se quem manda em nossas atitudes tende a ser as nossas emoções ou se o que determina como agimos provém de nossa vida racional, não faz diferença, pois se somos mais dominados pelo lado racional, ainda assim continuamos tendo emoções, sensações, sentimentos... Se formos dominados pelas emoções e nos deixamos influenciar por elas, tão pouco fará diferença, pois em algum momento agimos com razão, com cognição, com lógica!

Temos ambos os lados agindo em nossa vida independente de qual deles é mais intenso e de fácil utilização para cada um. É fato que costumamos desenvolver mais um ponto que o outro, mas isso não significa que o que nos influencia é apenas um ou outro.

SOMOS SERES TOTAIS, únicos, exclusivos! Não há dois de cada um de nós, e por conta disso também não haverá vidas que utilizem a razão ou a emoção exatamente da mesma maneira.

Se, no estudo de saúde e doença, formos capazes de olhar para as pessoas como um todo, a busca pelo restabelecimento da vida saudável torna-se algo mais completo e duradouro, pois estaremos olhando para todos os aspectos da vida que são capazes de causar o adoecer. A mente é capaz de adoecer, o corpo é capaz de adoecer, as emoções são capazes de adoecer...

Até onde vai a mente, onde se inicia o corpo e como dominar as emoções?

Integrar!! Totalizar!! Substituir o OU pelo E, e ao invés de olhar para um corpo doente OU uma mente perturbada, olharemos para um corpo com capacidades para manter-se sadio E uma mente com capacidades para restabelecer-se.

Mas claro que ser um ser integrado no mundo em que vivemos não é um processo simples, pois somos requisitados e envolvidos em processos que tendem a nos levar a suprimir as emoções a todo o momento, como se elas fossem às responsáveis por nossos problemas, pela perda de foco.

Somos sim seres sentimentais, mas que pensam e agem de acordo com isso!

Quando cindimos nossa razão e nossa emoção nos tornamos pessoas quebradas, pela metade, impossibilitadas de usarmos todas as capacidades que temos. Olhar para nossas emoções é lembrar que temos necessidades, desejos, sonhos, interesses que nem sempre a razão pode explicar. Porém, não utilizar a razão em nossos processos cotidianos e até mesmo em nossos relacionamentos, é viver uma vida de fantasias, de sonhos que nem sempre podem ser atingidos.

Integrar essas duas visões nos possibilita traçar caminhos da vida concreta, mas sem abrir mão dos sentimentos que nos motivam!

Então, que seja assim!!! Que o corpo seja capaz de expressar nossas emoções da maneira mais explicita que se pode imaginar, que nossa razão nos leve a entender cada vez mais que sentimos e que precisamos continuar sentindo! Que essa integração possa ser natural e assim nos tornaremos absolutamente totais!

2 comentários:

  1. Paty espero poder sentir a vida com a totalidade das emoções e razões possíveis e imagináveis e entender e aceitar esse conjunto de coisas que tornam nosso ser mutante e extraordinário...

    ResponderExcluir
  2. Esta integração da qual você trata no texto é muito clara quando dizemos algo para alguém tal como "está na sua cara que algo não está bem...". É o corpo refletindo os sentimentos. Às vezes, pela expressão de uma pessoa pode-se saber o que ela está pensando. Enfim, um pequeno exemplo de como corpo, razão e emoção estão integrados sempre !

    Ótimo texto !

    Obrigado.

    ResponderExcluir

Obrigada por me deixar seu recado!!