sexta-feira, 13 de agosto de 2010

Vida a dois...

Dividir espaço, dividir problemas, dividir momentos sejam eles bons ou ruins... Dividir as refeições e talvez até a televisão... Dividir os amigos, os familiares e em alguns momentos até o colo da mãe!

Dividir o principal, o que há de mais forte em toda a vida e que nos leva a querer sempre dividir mais e mais... Dividir os sentimentos!


Viver a dois significa dividir para somar, pois dependendo do que dividimos, estamos somando dentro da relação.

Viver a dois significa aprender a respeitar os limites e as fragilidades do outro, entendendo que sempre é possível superá-las. Também é aprender a respeitar os próprios limites e a aceitar as próprias fragilidades, sem medo de mostrá-las ao outro.

Viver a dois implica em sensibilidade para notar o que há por trás do sorriso, ou por trás das lágrimas, dando espaço para que todos os sentimentos possam aparecer mesmo sem usar as palavras.

Viver a dois também carece de individualidade, para que não passemos a ser apenas uma extensão do outro, um reflexo do que o outro é capaz de ser e de mostrar. É aceitar que viver a dois também implica em tirar alguns momentos para a tão necessária solidão, para curtir a si mesmo e para aprender mais de si mesmo.

Em alguns momentos, viver a dois traz a tona o quanto precisamos estar sempre aprendendo para estar com o outro de uma maneira leve... Sem esperar que o outro pense da mesma forma como pensamos, sem esperar que o outro sinta a mesma coisa que sentimos!

Fantasiamos a vida dividida de tal maneira que tudo fica parecendo um conto de fadas! A vida não é um conto de fadas, é realidade, com tantos sentimentos quanto podemos sentir, com tantas oscilações quanto damos conta de produzir. No entanto isso não significa que não seja boa ou até melhor que as estórias que fantasiamos.

As pessoas não são estáticas ou estáveis, e isso implica em mudanças constantes. Se as pessoas estão em constantes mudanças, o que nos faz pensar que as relações que mantemos também não vão fazer parte dessas mudanças?

Viver a dois é reconhecer que nós mudamos, e na maioria das vezes pra melhor. Pensando assim, o outro é capaz de mudar pra melhor tanto quanto nós.

Viver a dois então é estar aberto para encarar as mudanças com as quais podemos nos deparar e adaptar-se a elas. É poder de renovação e reorganização de sentimentos continuamente.

Vivemos num momento no qual nunca houve tantos processos de separação, divórcio e anulação de casamentos. Isso é a prova de que as pessoas não estão aptas a dividir e que a ficar com as fantasias é a melhor opção para satisfazer-se? Não!

É fato que nunca vivemos tantos processos de fim de relacionamento, mas por outro lado, nunca se viveu tantas reconstruções. Hoje vemos que as pessoas se casam, se separam e rapidamente reconstroem novas relações que levam novamente ao namoro ou matrimônio.

O namoro já leva a viver a vida a dois, a dividir todos os pontos mencionados acima, mesmo que não se concretize o matrimônio.

Relacionar-se estreitamente com alguém, desenvolver intimidade, querer dividir, não está ligado a nível, intensidade ou nomenclatura que damos a relação. Querer dividir e sentir todas essas sensações e possibilidades dependem apenas de estar aberto, de deixar-se envolver pelo outro e de desejar fazer parte da vida de alguém.

Levar a vida a dois, seja cada um em sua casa, seja dividindo também o ambiente físico e as contas domésticas, sempre leva a novas possibilidades de aprender a doar-se e de receber afeto, pois dividir implica tanto em dar quanto em receber.

Aqui, entra a avaliação de cada um do quanto se está disposto a dar e do quanto se está disposto a receber, e assim do quanto se está disposto a dividir! E isso é individual e intransponível...

Então, boa reflexão!

3 comentários:

  1. É filha a verdade esta em definir o quanto queremos dar, compartilhar, a vida a dois é um eterno conhecer, e reconhecer. Conhecer do outro e reconhecer no outro qualidades que gostariamos de ter e defeitos que gostariamos que ele não tivesse. Não existe magia maior que esta, a de se descobrir apaixonada pelo outro todos os dias porque ainda que seja por 100 anos, todos os dias havera aprendizado nessa convivencia. Belo texto ,obrigado por compartilhar. mamis

    ResponderExcluir
  2. Paty
    sua mãe tá roubando a cena... adorei o que ela escreveu.

    Bom obrigada as duas por compartilhar, afinal isso fará parte ainda mais da minha vida daqui pra frente.

    "não existe magia maior que esta, a de se descobrir apaixonada pelo outro todos os dias .."adorei.

    beijo
    Kitty

    ResponderExcluir
  3. Conviver com agente mesmo já não é fácil... dividir a vida então é uma arte que temos que estar sempre recriando e aperfeiçoando...

    ResponderExcluir

Obrigada por me deixar seu recado!!