sábado, 28 de agosto de 2010

"Dar conta..."

Vivemos no mundo onde todos precisam “dar conta” de tudo o tempo todo. Somos cobrados por isso e quando isso não acontece pelo mundo externo, acontece pelo mundo interno.

Cobramos-nos de dar conta de trabalhar, estudar, cuidar das obrigações domésticas, de filhos quando os temos, de manter as contas pagas em dia, e se possível ainda manter um bom relacionamento afetivo.

Mas não para por aqui! Também nos cobramos de dar conta de todas as cobranças que aparecerem no caminho!

Ou seja... São coisas demais para dar conta e tempo de menos para investir em uma estrutura que funcione pra tudo isso. Cobranças excessivas, nossas e do mundo todo, e pequenos retornos para todo esse empenho!

É mais facil administrar as dores alheias, aceitar que damos conta de conviver com a tristeza de quem nos rodeia e até mesmo de ajudar a mudar esse quadro, do que lidar com a propria tristeza, com os proprios conflitos...

Até mesmo com sentimentos bons... Pode ser mais facil dar conta de produzir felicidade nos outros do que produzir momentos de realização para si mesmo!

O mais sério disso tudo, é que investimos para dar conta de tudo que o mundo nos pede, de todas as responsabilidades sociais e profissionais que a sociedade estabelece como adequadas. Esforçamos-nos para dar conta de manter as pessoas ao nosso redor vivendo bem, sendo apoio e suporte nos momentos em que assim o desejarem. Dedicamo-nos para sermos sempre corretos e assim agirmos sempre dando conta de tudo aquilo que esperam de nós! Investimos tempo e dedicação para dar conta das expectativas alheias e ajudar a concretizar sonhos e metas. Enfim, buscamos dar conta de tudo que o mundo nos impõe...

Só que infelizmente o mundo não exige de nós que demos conta de nossos próprios sentimentos!

Deixamo-nos em segundo plano e ainda com a certeza de que é assim que se deve viver. Afinal, ouvimos que fazendo pelo outro, sendo bom para alguém, de certo a recompensa um dia virá!! É a sociedade do fazer o bem, sem olhar a quem...

Não nos acostumamos a olhar para isso e quando o fazemos pode surgir à sensação de egoísmo. Afinal, com tantas coisas sérias e até impactantes para todos, como nos atrevemos a tentar dar conta de coisas que só pertencem a uma única pessoa??

Desculpem-me os que acreditam que dar conta do outro seja mais importante que dar conta de si mesmo... Mas eu discordo veementemente!

Ninguém é capaz de dar aquilo que não tem... Se não formos capazes de dar conta de nossas questões, tão pouco seremos capazes de dar conta das alheias!!

Mas e por onde começar a dar conta?? Afinal, se estamos tão acostumados a tomar conhecimento das dores e dificuldades alheias, com freqüência nem sequer notamos as nossas...

Começar por aceitar a idéia de se olhar mais, se cuidar mais, se preocupar mais com tudo aquilo que queremos dar conta e que habita em nós mesmos, de certo já oferecerá muito material para ótimas reflexões e elaborações! A partir daí, cada um que determine e escolha como dar conta de si mesmo...

Claro que não acredito que o ser humano pode ser olhado com generalizações... e nem eu quero colocar dessa forma. Assim, também há quem se sinta capaz de dar conta apenas de si e nunca de suportar o que vem do outro...

Não vejo diferença na forma de lidar com isso... Apenas caminhar na direção contrária, aprendendo a dar conta de si mesmo, sem se abandonar, mas aprendendo simultaneamente a conviver com o suporte ao outro.

Equilíbrio!! Que venha com toda a força e que possa gerar relações cada vez mais saudáveis, seja consigo mesmo, seja com as pessoas ao nosso redor!!

3 comentários:

  1. Mesmo quando em geral damos conta de nós mesmos... as vezes a "coisa" aperta... e só conseguimos parar e olhar para onde devemos depois da dor estabelecida... que seja... parar e recomeçar...

    ResponderExcluir
  2. UFA, que canseira, é muita coisa pra dar conta e eu sou apenas um a mulhar aposentada, velhinha e frágil. eh .eh. eh. Bem assim sendo acredito que o mundo cobra demais, se voce namora, qdo vai casar, se voce casa, qdo vai ter filho, e assim por diante, cabe a nós selecionar assuntos e sentimentos por prioridade e esquecer de vez essas pessoas que não colocam comida na nossa casa, certo ? Um grande beijo da mami.

    ResponderExcluir
  3. Há um outro tipo de frustração relacionada ao dar conta de tudo, que é gerada pelo fato de dispensarmos mais tempos à atividades ou pessoas que não necessitam ou não merecem tanto tempo assim.
    Deixamos pouco ou nenhum tempo para coisas muito importantes. E há de chegar o momento no qual percebemos o quanto nos faz falta dar conta destas coisas importantes. Entretanto, o tempo passa e vemos o quanto deixamos de lado muitas coisas que deveriam ter sido primordiais, e como justificativa, temos o "não dar conta" para culpar.

    Sempre teremos muitas coisas para fazer, muitas pessoas com as quais temos que dar conta. É comum dosarmos nosso tempo para cada uma delas de forma errada, acomodada.

    Mas não há só tristeza nisso, já que muitas vezes podemos ter orgulho justamente por dar conta. É a certeza da felicidade, por fazermos coisas que nos dão prazer, por levar alegria às pessoas que nos cercam, por dar conta de nosso trabalho. Enfim podemos dar conta de muitas coisas boas e temos que lidar com o fato de que não se pode dar conta de tudo o que nos surge na vida.

    ResponderExcluir

Obrigada por me deixar seu recado!!