segunda-feira, 7 de junho de 2010

Dizer sim! Dizer não!

O que é mais difícil de dizer, o sim ou o não?

Como todas as questões levantadas aqui, não há uma resposta universal, e está totalmente ligado com a individualidade de cada um. Portanto para algumas pessoas, pronunciar o sim é pratico e indolor e o não apresenta um pouco mais de dificuldade, enquanto para outros o não é habitual e o sim necessita de mais esforço e reflexão.

Ambas as palavras foram feitas para serem ditas! Inclusive na mesma proporção... Dizer não pode mostrar limites, o quanto respeitamos a nós mesmos e temos consciência de nossas escolhas e vontades. Dizer sim pode mostrar aceitação, afinidades.

A dificuldade em dizer não, pode estar ligada a dificuldade em lidar com a frustração, com o quanto não estamos prontos para recebermos o mesmo não e o quanto temos medo do afastamento das pessoas quando ouvem essa palavra. Além disso, pode implicar em tamanha falta de respeito por si mesmo, por passar por cima de seus próprios ideais na busca por aceitação constante. Quem diz sim todo o tempo, em geral pode estar rodeado de pessoas, mas será que se satisfaz com suas escolhas não feitas? Será que realmente tem as pessoas por perto, ou apenas a conveniência de se conviver com alguém que nunca diz não é o que mantém a proximidade?

A dificuldade em dizer sim, nos remete a dificuldade em lidar com o afeto e com a proximidade nos relacionamentos, pois se torna natural desistir de alguém que nunca está aberto e disposto a nada! Mas será mesmo que quem diz não está fechado para as relações ou apenas possui um forte temor para transpor essa barreira?

Diversas são as formas de se gerar essas dificuldades, e hoje em especial podemos notá-las na educação de forma bastante escancarada. Vemos pais que dizem sim aos filhos por todo o tempo, na tentativa de suprir emoções e a própria relação que se torna distante. Não estou presente, mas o sim vai concertar tudo aquilo que não fui capaz de proporcionar... Ledo engano!

Claro que as conseqüências dessa forma de educar, são cada vez mais desastrosas, pois geramos pessoas com baixíssima tolerância as dificuldades da vida, acreditando viver num mundo irreal onde todas as vontades são supridas e todos os sonhos conquistados. Também vemos casais que preferem passar por cima dos próprios desejos a dizer não um ao outro, pelo medo de que a magia da relação termine. Vemos amigos com receio de não manterem proximidade se contrariarem com a simples palavra não.

E assim, os contatos se tornam cada vez mais vazios, mais distantes do que se sente e mais superficiais. Não somos robôs, e não deveríamos agir como tal.

Tanto o sim quanto o não são necessários para constituir o caráter do ser humano, bem como fator determinante na forma de nos envolvermos com as pessoas ao nosso redor.

Um sim com convicção pode valer muito mais que diversos sims ditos apenas para preencher o vazio. Um não com propriedade, sem dúvida pode livrar-nos de situações difíceis e de problemas pelos quais não desejamos passar.

É preciso encarar que não somos feitos de cristal e que nenhum ser humano no mundo é capaz de se desfazer por lidar com suas frustrações e com os empecilhos que a vida nos apresenta. E nisso já entro em outro tema, a dificuldade de ouvir o sim e a dificuldade de ouvir o não! Mas esse fica pra próxima... Primeiro vamos aprender a dizer, e quem sabe o ouvir se torne conseqüência desse processo!

5 comentários:

  1. é amiga ....dizer "sim" certamente é mais facil....o "não", para algumas pessoas é sofrimento intimo, que necessita de muito trabalho e empenho para ser superado.

    bjus

    ResponderExcluir
  2. Patty

    Graças a Deus fomos criadas por pais que souberam dizer não, e mostrar porque o não,tantos nãos fizeram de nós pessoas mais fortes para lidar com adversidades. Afinal, o mundo não é recheado de pessoas prontas para aceitar tudo o que fazemos.
    Adorei o texto

    beijocas
    Leiloca

    ResponderExcluir
  3. Camila... é justamente pela capacidade de trazer sofrimento íntimo que entendo ser um ponto que requer cuidado e reflexão! Pode ser dificil livrar-se deste habito cruel, mas não é impossível querida... Depende do quanto temos vontade de lidar com isso! Não deixa de ser um desafio, mas que graça tem a vida sem eles? rs

    Leiloca, todos os dias penso no quanto somos meninas (fui boazinha com a gente agora hein...rs) de muita sorte... Pois independente de todas as atribulações que podemos ter vivido durante a infancia e juventude, sempre tivemos pais fortes e presentes, no sim e no não, além de termos sempre aprendido com eles a nos apoiarmos nos amigos que conquistamos, como você e eu!!

    Beijo amadas... e até o proximo!

    ResponderExcluir
  4. Essa História de sim e não, ou seria sim ou não... é tão complicada...
    O não é necessário.... mas qdo o não é medo ou receio de tentar viver algo novo, de se ferir novamente... Ele se torna uma válvula de escape para muitas situações as quais vivemos....
    Enquanto dizer o sim é arriscar... tentar encarar, reviver, mostrar a todos que o seu "não" não foi tão forte, que vc não tinha tanta certeza assim...
    Ai sim, não o dúvida....
    E vc vem sempre entrando e acertando os meus anseios... Encontrei um anjo da guarda.... ou uma bruxinha que adivinha tudo... HAHAHAHA...

    bjks
    Claudia

    ResponderExcluir
  5. Este tema me levou diretamente à questão do equilíbrio. Não devemos optar por dizer mais "sim" ou mais "não". Devemos tentar encontrar o equílibrio entre o sim e o não. É um exercício dificílimo durante toda a vida, e é claro que, sujeitos à falhas que somos, erraremos frequentemente ao longo do tempo ao escolher entre o sim e o não.
    E eu penso que pior que escolher errado entre o sim e o não, é se enconder atrás do "não sei".

    ResponderExcluir

Obrigada por me deixar seu recado!!